A Câmara de Representantes dos Estados Unidos aprovou na terça-feira um projeto de lei para reforçar as sanções contra a Coreia do Norte pelo programa nuclear, e cortar os vínculos de Pyongyang com o sistema financeiro global.

O projeto, aprovado com 415 votos a favor e dois contra, foi batizado com o nome do Otto Warmbier, o estudante norte-americano que morreu em junho depois de mais um ano em coma preso no Coreia do Norte.

O texto pede ao Departamento do Tesouro que congele as contas de instituições financeiras internacionais em que a Coreia do Norte registe algum tipo de lucro.

Chegou o momento de que esses bancos entre ajudar e instigar o Governo da Coreia do Norte ou defender a paz com os Estados Unidos e os seus aliados", disse o republicano Andy Barr, promotor do projeto, durante o debate legislativo.

"Os bancos estrangeiros (agora) podem fazer negócios que beneficiam a Coreia do Norte e negócios com os Estados Unidos. Não podem fazer ambas as coisas", acrescentou Barr, que defende que as sanções vigentes não isolam por completo Pyongyang do sistema financeiro global.

O Conselho de Segurança da ONU aprovou em setembro, por unanimidade, um pacote de sanções destinado a isolar economicamente a Coreia do Norte, que limita as importações de petróleo e derivados e proíbe as exportações de têxteis, entre outras medidas.

Congresso aprova 36 mil milhões de ajuda para desastres

O Senado norte-americano aprovou um apoio de 36,5 mil milhões de dólares (31 mil milhões de euros) de ajuda para as regiões recentemente afetadas por furacões, como Porto Rico, e por incêndios, no caso da Califórnia.

Após a eleição da câmara alta em 12 de outubro, os senadores aprovaram os fundos por larga maioria, enviando a lei para a Casa Branca para promulgação pelo Presidente Donald Trump.

O Presidente continua firme no seu compromisso de fornecer os recursos necessários para a recuperação depois dos furacões e dos incêndios florestais”, informou a Casa Branca, em comunicado.

Em concreto, 18,7 mil milhões de dólares (15,8 mil milhões de euros) são destinadas à FEMA (agência federal de gestão de emergências norte-americana), 16 mil milhões de dólares (13,6 mil milhões de euros) vão para o programa federal de seguro contra as inundações e 576 milhões de dólares (489,6 milhões de euros) para a luta contra os incêndios.

O território norte-americano de Porto Rico, devastado pelo furacão Maria, em 20 de setembro, receberá especificamente 1,27 mil milhões de dólares (1,07 mil milhões de euros).

Estes valores juntam-se aos 15,25 mil milhões de dólares (12,9 mil milhões de euros) aprovados pelo Congresso em 8 de setembro, na sequência da passagem da tempestade Harvey, que afetou os estados do Texas e Louisiana, e para a preparação para a chegada do furacão Irma, que atingiu a Florida.