Cerca de cem peritos vão passar cerca de um ano na Síria a controlar a destruição de armas químicas, numa missão com um nível inédito de perigo, disse na segunda-feira o secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon.

A missão «vai conduzir uma operação em termos, para o dizer de forma simples, que nunca foram tentados», disse Ban Ki-moon, em relatório dirigido ao Conselho de Segurança da ONU.

Os cem peritos corresponderão a uma «missão conjunta» da ONU e da Organização para a Interdição das Armas Químicas.