A imagem e o nome do famoso urso de peluche das histórias infantis têm sido censurados da internet na China, naquele que é considerado o mais recente movimento de censura online.

Embora não tenha sido dada nenhuma explicação, a censura está alegadamente relacionada com a comparação do presidente chinês Xi Jinping ao famoso urso.

Na tentativa de escrever um comentário com as palavras "Pequeno Urso Winnie", como é designado na China, os utilizadores recebem uma mensagem de erro que refere que o "conteúdo é ilegal."

A plataforma Sina Weibo, o Twitter chinês e a aplicação de mensagens WeChat, foram algumas das redes sociais que censuraram o Winnie the Pooh, embora os GIFS ainda estejam disponíveis nesta última aplicação.

“Historicamente, duas coisas não foram permitidas: organização política e ação política. Mas, este ano foi adicionado uma terceira proibição à lista: falar sobre o presidente”, disse Qiao Mu, professor assistente de media na Universidade de Estudos Estrangeiros de Pequim.

A polémica teve início em 2013, depois de Xi Jinping se encontrar com o então presidente norte-americano, Barack Obama, e começarem a circular nas redes sociais imagens onde Xi Jinping é retratado como o urso, e Obama como o Tigre.

Já em 2014, uma fotografia do líder chinês a apertar a mão do primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, foi comparada com uma imagem de Winnie a dar a pata ao Bisonho, o seu amigo burro.