Um menino de quatro anos foi encontrado, esta semana, pela polícia de St. Clair, em East Liverpool, Ohio, nos EUA, dentro de um carro com um casal com uma "overdose" de heroína.

Segundo o relatório da polícia, o carro foi seguido pelas autoridades por causa da condução incorreta, tendo quase batido "num autocarro escolar quando as crianças estavam a sair na paragem". Quando o veículo foi imobilizado os agentes depararam-se com o menino - que mais tarde confirmaram ser filho da mulher - no banco de trás do carro. 

O carro era conduzido por James Acord, de 47 anos, que, segundo contou à polícia antes de perder a consciência, estava a levar a mulher que seguia, inconsciente, ao seu lado - Rhonda Pasek, de 50 anos - ao hospital.

Antes de ficar inconsciente, Acord tentou ainda fugir do local, pelo que o agente que tomou conta da ocorrência se viu obrigado a retirar as chaves da ignição. 

De acordo com as autoridades, que decidiram divulgar as imagens do movimento, foi ainda encontrada heroína no carro.

Sentimos que é necessário mostrar o outro lado desta droga horrível. Temos esperança que a história desta criança possa convencer as pessoas a pensar duas vezes antes de se injetarem com este veneno", acrescentou o chefe da polícia, John Lane, à WKBN lamentando que a criança já tenha visto "isto em casa dezenas de vezes".

Os serviços de emergência foram chamados ao local e Rhonda e Acord levados para o hospital. Depois de terem alta, os dois foram detidos, mas saíram em liberdade depois de paga a fiança. O condutor foi acusado de colocar a vida de várias crianças em risco: a do menino que seguia no carro e a das que saíam no autocarro escolar. Já a mulher foi acusada de intoxicação pública, de não usar cinto de segurança e de colocar uma criança em risco.

A criança ficou sob a tutela dos serviços de proteção de menores do condado de Columbiana County.