O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, "pode ter decidido abandonar o acordo de Paris sobre combate ao aquecimento global, mas os americanos estão a cumprir Paris", disse esta sexta-feira o ex-secretário de Estado norte-americano, John Kerry.

Pelo menos 29 estados e muitas empresas estão a aprovar leis e a trabalhar para, voluntariamente, cumprirem o que o mundo acordou", afirmou Kerry, que discursou no encerramento da conferência Our Ocean 2017 organizada pela União Europeia em Malta.

John Kerry foi o fundador, em 2014, das conferências Our Ocean, em que governos e o setor privado assumem compromissos efetivos de proteção dos oceanos e de utilização sustentável dos recurso marinhos.

"É preciso tomar a medicação"

O vice-presidente da Comissão Europeia, Frans Timmermans, encerrou a conferência Our Ocean 2017 a afirmar que "o diagnóstico dos problemas (que os oceanos enfrentam) está feito e analisado, agora é preciso tomar a medicação".

Na conferência, governos, instituições e empresas de todo o mundo assumiram compromissos de proteção e uso sustentável dos oceanos avaliados em mais de seis mil milhões de euros, e declararam como áreas marinhas protegidas mais 2,5 milhões de quilómetros quadrados, que se juntam aos 7,7 milhões de quilómetros quadrados declarados protegidos em conferências anteriores.

Os compromissos assumidos, desde financiamentos até ações legislativas, cobrem as áreas do combate à poluição nos oceanos, sobretudo por plástico, criação de áreas marinhas protegidas, gestão sustentável de pescas e combate à pesca ilegal, segurança marítima, economia azul, e mitigação de impactos das alterações climáticas.

Fazer promessas é a parte fácil, concretizar as promessas é que é mais difícil. É preciso garantir que a Our Ocean 2017 não se fica pelas boas intenções", disse Frans Timmermans, referindo a necessidade da criação de mecanismos de fiscalização da aplicação dos compromissos enunciados.

Depois de Malta, as próximas conferências Our Ocean deverão realizar-se na Indonésia, em 2018, e na Noruega, em 2019.