É mais um ataque violento às forças de autoridade no mundo ocidental. Esta quinta-feira, em plena Nova Iorque, um homem atacou com um machado quatro polícias nova iorquinos, atingindo com gravidade dois deles. O ataque levantou inicialmente suspeitas de que estivesse ligado ao terrorismo, incluído ao ataque a tiro no Parlamento canadiano, mas as autoridades já vieram negar um eventual «link» terrorista.

Zale H. Thompson, o suspeito que surge no vídeo da polícia nova iorquina de barba e com um casaco de capuz, estava escondido atrás de uma paragem de autocarro, como se estivesse à espera dos polícias. Os agentes estavam à posar para uma fotografia quando o homem atacou, especificou o comissário Bill Bratton.



O atacante atingiu um polícia no braço direito e o outro na cabeça. Os dois polícias que não foram atingidos pelos golpes de machado acabaram por matar a tiro o suspeito que foi já identificado como Zale H. Thompson. O homem tem registo criminal na Califórnia e tinha já sido dispensado da Marinha norte-americana por má conduta, especificaram as autoridades norte-americanas.

O polícia nova iorquino que foi atingido na cabeça com o machado permanece em estado crítico, mas estável. O outro polícia deverá ter alta em breve, mas o ataque fez ainda mais uma vítima. Um transeunte que estava no local foi atingido por uma das balas, disparadas pela polícia, na região lombar e foi transportado para o hospital, desconhecendo-se, no entanto, o estado de saúde. 

 

O ataque levantou de imediato receio de que estivesse ligado ao atentado terrorista no Palamento canadiano, em que um terrotista com ligações ao islão matou um soldado e entrou a disparar no Parlamento, até ser morto a tiro pelo responsável de segurança, que é já considerado um herói no Canadá.

De início, as autoridades indicaram que apesar de aparentemente não existir indícios de ligações, essa era uma possibilidade em aberto na investigação que estava ainda a começar. Nas redes sociais, começaram, quase de imediato, indícios que pareciam confirmar os receios: Zale H. Thompson teria uma página de Facebook escrita em árabe, onde estariam posts com citações do Corão e onde na imagem de perfil se viu um homem com um lenço a tapar a cara e armado. 



Na quinta-feira, a CNN transmitiu mesmo uma peça em juntava todas as suspeitas e possibilidades que ligavam o ataque de machado ao terrorismo. No entanto, pouco depois da transmissão, uma fonte policial garantiu à cadeia norte-americana que não existia qualquer indicação de que o suspeito estivesse ligado a qualquer grupo islâmico radical. 



O apelo recente do Estado Islâmico para levar a cabo ataques no ocidente contra homens fardados parecia também ser o mote para os ataques. Mas, na realidade, não foi, até ao momento, estabelecida qualquer ligação entre estes ataques, incluindo o do Canadá, e o Estado Islâmico.