Há uma cidade na Noruega onde é proibido morrer. Em Longyearbyen, no arquipélago de Svalbard, é proibido morrer e enterrar os cadáveres no cemitério local. Tudo por causa do tempo gélido.

Localizada a meio caminho entre a Noruega e o Pólo Norte, Longyearbyen é considerado um dos locais mais setentrionais do mundo. Esta cidade tem cerca de 2 mil habitantes e não vê luz solar durante meses.

A lei que proíbe as pessoas de morrer na cidade foi introduzida em 1950 depois de se ter descoberto que os corpos enterrados no cemitério não entravam em decomposição por causa do frio.

A descoberta foi feita quando os cientistas exumaram vários corpos de vítimas de uma pandemia de gripe e conseguiram recuperar amostras vivas do vírus, mais de 80 anos depois da sua morte.

Com medo de que doenças de há décadas permanecessem nos corpos e infetassem os habitantes da cidade, foi proibido enterrar cadáveres no cemitério local.

Agora, independentemente do tempo que a pessoa viveu lá - podem ser apenas alguns dias, podem ser semanas, meses ou anos - ninguém pode ser enterrado no cemitério local. Os mortos ou as pessoas prestes a morrer são levadas para o continente.

Se a pessoa estiver quase a morrer, todos os esforços são feitos para a enviar para o continente”, explicou Jan Christian Meyer, da Universidade Norueguesa da Ciência e Tecnologia, ao Independent

Não há muitas pessoas a nascer em Longyearbyen. Apesar de existir um pequeno hospital, as mães são encorajadas a fazer o parto no continente.