O Presidente interino da Guiné-Bissau, Raimundo Pereira, afirmou esta terça-feira que os assassínios de «Nino» Vieira e do chefe das Forças Armadas, general Tagmé Na Waié constituem uma «afronta às instituições da República» e atingiram negativamente a imagem do país.

«Para lá da perda irreparável de vidas humanas, eles (os assassínios de «Nino» Vieira e de Tagmé Na Waié) também representam claramente uma afronta às instituições da República, às Forças Armadas e ao próprio Estado da Guiné-Bissau, que foi gravemente atingido na sua dignidade e na sua imagem», considerou Raimundo Pereira, ao proferir o discurso fúnebre em memória de «Nino» Vieira.

As cerimónias fúnebres do Presidente guineense, assassinado a 02 de Março durante um ataque à sua residência, levado a cabo por militares, realizam-se esta terça-feira em Bissau.