Nina Pham, de 26 anos, foi a primeira pessoa nos EUA a ser diagnosticada com Ébola. Agora, a enfermeira vai processar o hospital por ter «falhado» com os profissionais que trataram de  Thomas Eric Duncan, o primeiro caso diagnosticado nos EUA.

Em entrevista ao «The Dallas Morning News», Pham afirmou que vai entregar, esta segunda-feira, no tribunal de Dallas um processo contra a companhia que detém o Hospital Presbiteriano, a Texas Health Resourses.

A enfermeira afirma que continua a ter pesadelos, a sofrer de insónias e a ter  dores corporais depois de ter contraído a doença através de um doente de que tratou no hospital.

Nina Pham alega que o hospital carece de instrução e de equipamento adequado e que as violações de privacidade por parte do hospital são um «sinal de negligência corporativa». A enfermeira revela ainda que vai processar a companhia por não ter protegido a sua identidade e por ter divulgado o seu nome.

«Queria acreditar que eles me protegiam e tomavam conta de mim, mas eles simplesmente não o fizeram», afirmou.

Nina Pham foi diagnosticada com ébola a 13 de outubro do ano passado. A profissional de saúde contraiu o vírus ao acompanhar primeiro caso de vírus tratado, mas não contraído, nos EUA. A 24 de outubro, Nina recebeu a notícia de que estava, finalmente, livre da doença.