A enfermeira de Dallas, Nina Pham, está finalmente livre do vírus ébola, depois de a doença ter sido diagnosticada a 13 de outubro, anunciaram as autoridades de saúde dos Estados Unidos, esta sexta-feira.

A profissional contraiu o vírus ao ajudar a tratar o primeiro homem a viajar da Nigéria para os EUA com ébola, e que acabou por morrer em solo norte-americano.  Nina Pham começou a ser tratada precisamente em Dallas, mas foi depois transferida para o hospital de Maryland.

Foi filmada pelo médico que a seguia durante o internamento, num vídeo onde apareceu lavada em lágrimas, dirigindo  palavras de carinho aos colegas responsáveis pelo seu tratamento.

Trocou de papéis, passando de enfermeira a paciente e recebeu muita força do seu médico: «Obrigada por teres feito parte da nossa equipa voluntária que tratou o primeiro paciente», disse-lhe Gary Weinstein, garantindo que toda a equipa tem «imenso orgulho» em Nina, por ter tido a coragem de tentar salvar o primeiro paciente com o vírus tratado nos EUA.

Nina chegou a receber uma transfusão de sangue do médico Kent Brantly, o primeiro paciente tratado nos Estados Unidos e que superou o vírus. Agora curada do ébola, segue-se o período de recuperação. 

Ao contrário do cão de Teresa Romero, - a espanhola infetada e que também já não tem a doença -, que foi abatido por receio de também ter o vírus, ao cão de Nina Pham foram feitos testes primeiro, que deram negativo