O antigo chefe de Estado da Colômbia Andres Pastrana, de visita a Caracas com outros cinco ex-líderes latino-americanos, afirmou que após uma reunião com Maduro este prometeu deixar López execer o seu direito de voto nas eleições de hoje, apesar de o governo não ter confirmado ainda essa informação.

“Eles concordaram com isto e eu penso que é muito importante. Todos os meus colegas antigos Presidentes insistiram”, disse Pastrana aos jornalistas.

Mesas de voto já abriram

As mesas de voto na Venezuela abriram hoje às 06:00 horas locais (10:30 horas em Lisboa) para a eleição de um novo parlamento nacional.

A Venezuela tem 19,8 milhões de inscritos nesta eleição, da qual resultará um novo parlamento de 167 deputados, três dos quais em representação das comunidades indígenas.

Com a participação de quase duas dezenas de formações políticas, as atenções estão divididas entre o Grande Polo Patriótico, a aliança de partidos afetos à revolução bolivariana, e a coligação da oposição Mesa de Unidade Democrática, além de um importante número de candidatos independentes.