“Tu não és muçulmano.” Foram estas as palavras de Mehdi, irmão mais novo de uma das vítimas do atentado de Nice, dirigidas ao autor do massacre.

Bihal e Mehdi souberam no domingo que a irmã, Aljia, estava entre as vítimas mortais do ataque em Nice, onde um camião matou mais de 80 pessoas e feriu mais de 200, ao longo da avenida marginal.

Ainda no rescaldo do ataque, os irmãos de Aljia, ambos muçulmanos, prestaram declarações à BBC e afirmam que o condutor do camião não pode ser considerado muçulmano. As palavras dos irmãos foram dirigidas ao camionista, Mohamed Lahouaiej Bouhlel, e alegam que os muçulmanos não matam pessoas:

Não é possível que ele tenha lido o Corão e seja muçulmano, se mata pessoas. Este homem não é muçulmano, não reza. Ele é simplesmente maluco”, disse Bihal.

O outro irmão, Mehdi, disse que antes eram seis imãos, mas agora são apenas cinco e explicou que a irmã mais velha era a alegria da família:

Tu mataste a minha irmã. Ela tinha quatro filhos: duas raparigas e dois rapazes. Era a nossa irmã mais velha e a alegria da família”, disse Mehdi.

Bihal acredita que o mundo deve unir-se para combater a guerra e terminar com as opressões por causa da cor da pele e da religião.

Ainda há muitas famílias à procura de desaparecidos, que terão morrido no ataque em Nice. Uma família cabo-verdiana, que viveu muitos anos em Portugal, continua à procura de dois jovens.