O Papa Francisco voltou a comover o mundo, ao abraçar e beijar o rosto de um homem desfigurado por uma doença rara, esta quarta-feira, na habitual audiência na Praça de São Pedro, no Vaticano. O Papa confortou o homem e abraçou-o, numa cena que muitos já dizem fazer lembrar a cura dos leprosos por parte de Jesus.

O homem foi identificado como doente com neurofibromatose, que, além de desfigurar quem dela padece, pode provocar dores muito fortes, surdez, problemas mentais, paralisia e mesmo cancro. O tratamento desta doença é muito complicado.

Trata-se de um problema genético e não é contagioso, mas que vota, muitas vezes, os doentes ao ostracismo, por causa da aparência física que lhes confere.

Esta quarta-feira, durante o habitual percurso que faz entre os peregrinos, na Praça de São Pedro, após a audiência semanal, o Papa Francisco deteve-se por largos minutos junto do homem, confortando-o nos seus braços.