A diretora do Fundo Monetário Internacional, Christine Lagarde, declarou-se «profundamente entristecida» pelo falecimento de Nelson Mandela, em comunicado divulgado pela instituição.

Lagarde expressou as suas condolências à família e ao povo da África do Sul, «cujas vidas e destino ele transformou através do seu serviço ao seu país».

No texto, Lagarde afirmou que «Mandela foi um líder corajoso e visionário que habilitou o seu país a confrontar o seu passado e inspirou o seu povo a resolver um extraordinário conjunto de desafios».

Termina com a consideração de que «o alcance [a dispersão] extraordinário [a] dos seus admiradores testemunha a sua profunda contribuição para tornar a África do Sul e o mundo um lugar melhor».

A morte de Nelson Mandela, aos 95 anos, foi anunciada pelo Presidente da República da África do Sul, Jacob Zuma, numa comunicação televisiva.

Líder da luta contra o apartheid, Nelson Mandela foi o primeiro presidente negro da África do Sul, entre 1994 e 1999.