Um barco que transportava centenas migrantes naufragou esta quarta-feira na costa da Líbia, provocando pelo menos 25 mortos, segundo a guarda costeira italiana. Ainda de acordo com o porta-voz da guarda costeira Filippo Marini, 400 pessoas foram resgatadas. As autoridades pensam que o barco transportava cerca de 600 migrantes e, por isso, receiam que haja 200 desaparecidos. 

O navio de patrulha irlandês LÉ Niamh , que participou nas operações de resgate, confirmou ao início da tarde 362 sobreviventes, entre os quais dez mulheres e 13 crianças.
 

O naufrágio ocorreu depois de o barco de pesca ter sido surpreendido pelas más condições meteorológicas e efetuado uma chamada de socorro. Segundo a BBC, o primeiro navio a chegar foi precisamente o da marinha irlandesa. Só que quando o LÉ Niamh lançou os seus barcos os migrantes mudaram-se todos para um dos lados da embarcação e o excesso de peso acabou por fazê-la tombar.

A porta-voz da Agência para os Refugiados da ONU, Melissa Fleming, escreveu no Twitter que 100 migrantes estavam no casco do navio quando este se afundou e que o naufrágio aconteceu de forma muito rápida.
 

O responsável da mesma agência em Itália, Federico Fossi, afirmou à AFP que o barco naufragou porque era feito de metal. 

No total, sete navios e dois helicópteros participaram nas operações de busca, que foram entretanto suspensas.

Este pode ser o maior incidente com migrantes no Mediterrâneo desde abril, quando cerca de 850 pessoas morreram quando tentavam chegar à Europa.