A campanha publicitária de Calvin Klein que gerou um debate em 2014 sobre as modelos “plus size”(com peso a mais) voltou esta semana a invadir as redes sociais. Uma série de imagens foram partilhadas no Twitter sugerindo que a própria marca classificou a modelo Myla Dalbesio como "plus size". Só que, na verdade, além de a campanha já ter dois anos, tratam-se de montagens, uma vez que a Calvin Klein nunca fez qualquer tipo de referência ao tamanho de Dalbesio.

Nas montagens em causa a imagem da modelo surge com a legenda "A primeira modelo 'plus size da Calvin Klein". Muitos utilizadores partilharam estas publicações, criticando a marca por alegadamente considerar a modelo "plus size". A atriz Catherine Tyldesley foi uma das que usou o Twitter para demonstrar a sua revolta.

Mas as imagens são falsas. E na campanha original, lançada há dois anos, a Calvin Klein nunca rotulou a modelo norte-americana como "plus size". Algumas revistas, como a Elle, é que o fizeram.

Na altura, Dalbesio até explicou à Elle que na campanha surgia junto a outras modelos, sem qualquer tipo de referência ao seu peso.

Eles lançaram-me na campanha com todas as outras; sem qualquer distinção. Não se trata de uma secção separada para raparigas ‘plus size’”, completou.

A modelo também escreveu um artigo para a revista Suited, intitulado “The Body Issue” onde conta como é difícil lidar com os critérios de beleza exigidos no mundo da moda e onde escrutina os aspetos imperfeitos do seu próprio corpo. Contudo, nesta auto-análise, foca-se mais nos aspetos positivos e explica que, em termos de tamanho, se encontra no meio – não é nem magra nem gorda. 

No vídeo abaixo, a modelo fala sobre a aparência do corpo no projeto "What's Underneath" da StyleLikeU: