Um dia depois de o Brasil sofrer o maior desaire da própria história futebolística, no jogo frente à Alemanha, das meias-finais do Mundial 2014, a Presidente Dilma Rousseff afirmou que «nem nos piores pesadelos» poderia imaginar a derrota da seleção «canarinha» por 7-1. A chefe de Estado sublinhou, no entanto, que o Brasil tem uma característica peculiar de saber enfrentar as adversidades.

Em entrevista exclusiva, esta quarta-feira de manhã, à estação norte-americana CNN, Dilma Rousseff disse estar «profundamente triste» com a derrota, «assim como todos os brasileiros».

«Meus pesadelos nunca ficaram tão ruins. Eles nunca foram tão longe. Como uma torcedora, claro, eu estou profundamente triste porque compartilho da mesma tristeza de todos os torcedores. Mas eu também sei que nós somos um país que tem uma característica muito particular. Nós crescemos no desafio da adversidade», afirmou a presidente.

Ao canal norte-americano, Dilma Rousseff sublinhou que o Brasil foi para o jogo, no Estádio do Mineirão, em Belo Horizonte, sem dois dos principais jogadores. As ausências de Neymar, que deixou a competição lesionado, e de Thiago Silva, suspenso, foram, disse a chefe de Estado, fatores que contribuíram para a derrota.

A jornalista da CNN Christiane Amanpour começou a entrevista a dar as «condolências» à presidente brasileira pelo que chamou de «massacre» por parte da Alemanha. «A seleção merece o nosso apoio», respondeu Dilma Rousseff. A presidente garantiu que o Brasil vai recuperar-se dessa situação «extremamente dolorosa». «Eu creio que ser capaz de superar derrotas é uma característica e uma marca de uma grande seleção e de um grande país», defendeu.

Durante a entrevista, Dilma Rousseff realçou que o Campeonato do Mundo deste ano foi um dos melhores de todos os tempos. «O Brasil organizou uma Copa do Mundo, que eu acredito que é uma das melhores Copas do Mundo. E isso é em grande parte devido à capacidade do povo brasileiro para oferecer hospitalidade e receber bem torcedores de todo o mundo», concluiu.

Merkel feliz por ver Alemanha na final

Angela Merkel deu esta quarta-feira um ar de sua graça. A chanceler alemã reagiu à vitória sobre o Brasil, para dizer que está «naturalmente feliz» pela chegada à final do Mundial 2014, num jogo que considera «histórico».

«Junto-me às opiniões de todo o mundo de que foi um jogo muito bom. Acho que merece ser intitulado de histórico», disse, sorridente, a chanceler.

No domingo, Angela Merkel vai voltar ao Brasil para assistir ao vivo à final do Campeonato do Mundo de futebol ao lado do Presidente alemão. A senhora Europa espera que a «mannschaft» tenha força para ganhar a final e levar o título mundial para a Alemanha.