O governo russo anunciou que vai gastar mais de 175 mil euros este ano para manter o corpo de Lenine embalsamado. A quantia será utilizada para os tratamentos químicos necessários para que o efeito seja semelhante ao de um "corpo vivo".

O líder da revolução russa morreu há mais de 90 anos, mas o corpo continua em bom estado graças aos tratamentos bioquímicos que garantem o embalsamento.

Estes tratamentos vão permitir conservar a múmia por mais 100 anos, segundo a agência de notícias russa Interfax. Também de acordo com a imprensa local, as roupas do cadáver são trocadas a cada três anos.

O corpo de Lenine está em exposição desde 1924 no Mausoléu do antigo líder, na Praça Vermelha, em Moscovo. O túmulo atrai milhares de turistas todos os anos e simboliza os feitos da União Soviética, mas divide os partidos russos em relação à manutenção do corpo.

De acordo com a BBC, um inquérito recente feito a 8 mil pessoas mostra que 62% apoiam o enterro do líder, ideia que sempre foi afastada pelo Kremlin.