As autoridades da Guatemala elevaram este domingo a 85 mortos e 350 desaparecidos o número de vítimas do deslizamento de terras registado esta semana nos arredores da capital, e suspenderam as buscas por motivos de segurança.

O desastre ocorreu na quinta-feira noite em El Cambray II, no município de Santa Catarina Pinula, a apenas 20 quilómetros da capital guatemalteca.

Segundo dados oficiais do Ministério Público, até à data foram recuperados 73 cadáveres.

Já a agência Coordenadora Nacional para a Redução de Desastres, que avança números mais lentamente devido aos protocolos, deu conta de 69 mortos, 34 resgatados com vida, cerca de 200 alojados e 2.500 retirados, informou o seu porta-voz no local, Sergio Cabañas.
 

México envia missão de apoio 

 
O México enviou uma missão de apoio à Guatemala, para ajudar nas buscas na sequência do deslizamento de terras.

O Presidente do México, Enrique Peña Nieto, pediu ao ministro do Interior, Miguel Ángel Osorio, para enviar ajuda humanitária para a zona afetada da Guatemala pelo deslizamento de terras de 1 de outubro, informaram hoje fontes governamentais citadas pela agência Efe.

Devido à emergência causada pela avalanche no município de Santa Catarina Pinula, "a que o Governo do México deu pontual apoio através da sua embaixada na Guatemala", Osorio encarregou a Coordenação Nacional de Proteção Civil de coordenar a missão de apoio.