Pelo menos 50 pessoas morreram de intoxicação no sábado na província de Tete, centro de Moçambique, e outras 70 ficaram internadas após o consumo de uma bebida tradicional alcoólica chamada phombe, informaram este domingo as autoridades locais.

As 50 mortes, avançadas à Rádio Moçambique pela diretora provincial de Saúde em Tete, ocorreram desde a madrugada de sábado em Chitima, sede do distrito de Cahora Bassa.

Segundo Carla Mosse, terão de ser analisadas amostras da bebida e de sangue e urina das vítimas antes de as autoridades confirmarem o consumo de phombe envenenado como a causa da tragédia.

«Não temos capacidade interna para análises. As amostras serão enviadas para Maputo e eventualmente para a África do Sul», disse a diretora provincial de Saúde, citada pela Rádio Moçambique.

As setenta pessoas intoxicadas deram entrada nos hospitais rurais de Chitima e da Vila Songo, onde se mantêm internadas.

«É muito triste esta situação, é a primeira vez que estamos perante uma tragédia deste tipo», declarou Carla Mosse, assegurando que as autoridades de saúde de Tete e o Governo distrital de Chitima vão trabalhar para manter a situação sob controlo e prestar apoio às famílias enlutadas.