Um membro da Irmandade Muçulmana e apoiante de Morsi, o presidente deposto pelos militares, no Egito, foi morto a tiro durante novos confrontos no Cairo. A informação é avançada pela agência Reuters, que cita fonte médica.

Diversos grupos de islamitas, entre eles a Irmandade Muçulmana, deram início esta sexta-feira a uma nova onda de protestos, por todo o país, que só estão previstos terminar domingo, com uma manifestação na Praça Tahrir.