Os Estados Unidos condenaram esta sexta-feira a retenção de um grupo de capacetes azuis por rebeldes sírios na região dos Montes Golã, fronteira com Israel, e apelaram à libertação «imediata» e «sem condições».

Em comunicado, a porta-voz do Departamento de Estado, Jen Psaki, condenou a violência contra a missão internacional e fez um apelo a todas as partes para se «absterem de ameaçar ou provocar danos às forças das Nações Unidas e interferir na sua missão».

O Departamento de Estado norte-americano sublinhou o seu apoio à missão das Nações Unidas de Observação para manter um cessar-fogo na região.

Filipinas garantem que capacetes azuis não vão entregar armas

As autoridades filipinas indicaram que os capacetes azuis da ONU não vão entregar armas aos rebeldes sírios que sitiaram um acampamento da organização nos Montes Golã, revelou a imprensa local.

A ONU confirmou quinta-feira que 43 capacetes azuis das Fiji foram detidos por um grupo armado nos Montes Golã e outros 81 filipinos estão impedidos de circular na mesma zona, na fronteira entre Israel e a Síria.

Agora o exército filipino precisou que se estão apenas 75 militares do país em relativas boas condições.