O Congresso do Peru chumbou, na quinta-feira, a moção apresentada pela oposição para destituir o presidente do país, Pedro Pablo Kuczynski, por suposta “incapacidade moral permanente” pelas suas ligações à construtora brasileira Odebrecht.

Após uma longa sessão plenária, que se prolongou por mais de 13 horas, a moção para destituir Pedro Pablo Kuczynski acabou rejeitada, uma vez que apenas obteve 79 votos a favor, falhando o apoio mínimo de 87 dos 130 deputados previsto por lei.

“O pedido de destituição por incapacidade moral foi rejeitado”, declarou o presidente do Parlamento peruano, Luis Galarreta, após a votação da moção apresentada pela oposição que recebeu 79 votos a favor, 19 contra e 21 abstenções.