A Comissão Nacional de Eleições (CNE) de Moçambique julgou improcedente o pedido da Renamo, principal partido de oposição, de anulação das eleições gerais de 15 de outubro, anunciou esta terça-feira aquele órgão eleitoral.

«Foi julgado improcedente o pedido da Renamo de anulação do escrutínio do dia 15 de outubro passado, em razão do procedimento, que não foi o mais apropriado», disse o porta-voz da CNE aos jornalistas.

Paulo Cuinica esclareceu que a reclamação a Renamo, apesar de ter sido dirigida na altura do apuramento, não dizia respeito a esta fase das eleições, «mas sobre situações que se haviam passado em outros processos».