Na áfrica do sul, um grupo de mineiros está presos numa mina ilegal perto de Joanesburgo e não quer sair com medo de serem presos. Inicialmente suspeitava-se de 200 pessoas retidas.

As operações de resgate foram interrompidas depois de terem sido retirados cerca de 11 homens. A CNN avança que 19 mineiros já foram resgatados.

O sector mineiro vive uma das piores crises da história na áfrica do sul. Esta era apenas mais uma mina fechada a 40 km da capital Joanesburgo, na Vila de Benoni.

Estima-se que mais de 200 homens tenham ficado presos.

O alarme soou domingo de manhã, mas o colapso da mina ilegal deverá ter acontecido no sábado. Ouviram-se gritos e as operações de socorro começaram por identificar um grupo de 30 homens mais próximos da superfície. A entrada da mina estava tapada com uma rocha que pode ter sido colocada por um grupo rival, segundo fontes citadas pela agência Reuters.

A história podia acabar aqui, dizendo que 11 homens já foram resgatados. Mas pode não ser bem assim. Quando foram resgatados, os mineiros ilegais acabaram detidos pelas autoridades. Por isso, os outros homens que ainda estão dentro da mina recusam sair. Têm medo de serem presos porque assaltaram uma mina encerrada.

Apesar de as equipas de emergência terem desmobilizado, elas estão em alerta e podem regressar a qualquer momento. Basta que os mineiros retidos no interior da mina peçam ajuda.

Segundo a BBC, o local está a ser vigiado por uma empresa de segurança privada, a fim de evitar tentativas de resgates «não autorizadas».

Werner Vermaak, dos serviços de emergência, explicou à BBC que os mineiros «terão ajuda assim que decidirem sair» da mina. No entanto, confirmou que «serão detidos quando chegarem à superfície». Vermaak acrescentou ainda que «eles não vão conseguir sair sem escadas ou cordas».

Os direitos de prospeção da mina pertencem à empresa chinesa «Gold One», mas esta não estava a ser explorada.

Já de acordo com a CNN, foram resgatados 19 mineiros e falta retirar 11. Um mineiro está a tentar convencer os trabalhadores ilegais que se recusam a sair da mina.

De acordo com a mesma notícia da CNN, as autoridades ainda não conseguiram confirmar a informação inicialmente avançada pelos mineiros ilegais, que estariam mais de 200 pessoas «presas» e suspeitam que a informação é falsa.

Confirmam, no entanto, o grupo de 30 pessoas «presas» perto da superfície e a quem entregaram bebidas e comida.