Os Estados Unidos vão suspender a retirada de tropas do Afeganistão e manter os atuais 9.800 soldados até ao fim do ano, mas a missão será concluída em 2016 como previsto, anunciou o Presidente Barack Obama.

Numa conferência de imprensa conjunta com o seu homólogo afegão, Ashraf Ghani, na Casa Branca, Obama disse que Cabul pediu a Washington mais flexibilidade na retirada dos soldados.

«Tendo em conta o pedido do Presidente Ghani para flexibilizar o calendário da retirada norte-americana, os Estados Unidos vão manter a presença dos seus atuais 9.800 homens até ao final de 2015», indicaram os dois governos num comunicado conjunto.

«A trajetória específica para a retirada das tropas norte-americanas em 2016 será estabelecida no final de 2015, a fim de permitir a transição para uma embaixada baseada em Cabul no final de 2016», adiantam no mesmo documento.

Obama reconheceu que o Afeganistão continua a ser «um lugar perigoso», mas insistiu que a decisão de manter um elevado número de tropas naquele território durante mais tempo, não significa uma mudança na política de acabar, em breve, com o envolvimento norte-americano na linha da frente.

«É importante recordar que o prazo para a retirada das tropas em troca de uma presença centrada numa embaixada, a normalização da nossa presença no Afeganistão continua a ser o fim de 2016», salientou.

«Isso não mudou, a nossa transição para um papel não-combatente não mudou», acrescentou.