A organização terrorista Al Qaeda reivindicou a responsabilidade por dois atentados-suicida, realizados através de carros-bomba num quartel-general do exército do Iémen, que provocaram a morte de sete militares, informou a agência de notícias francesa AFP.

Numa mensagem publicada na rede social Twitter, o braço armado da Al Qaeda na península árabe do Iémen, o grupo Ansar Al-Charia, afirma ter organizado os dois atentados contra o quartel-general da primeira divisão militar de Seiyun, cidade situada no sudeste daquele país.

As forças de segurança iemenitas revelaram que os dois carros explodiram na entrada no quartel.

O ataque aconteceu pouco depois da chegada de uma coluna militar onde seguia um general que saiu ileso do ataque.
Além dos mortos, outros oito militares ficaram feridos nos ataques.