Investigadores russos revistaram apartamentos de funcionários do grupo crítico do regime Rússia Aberta, do antigo magnata Mikhail Khodorkovsky, menos de duas semanas depois de Moscovo o ter acusado de homicídio.

Membros do comité de investigação russo revistaram as casas da porta-voz de Khodorkovsky, Kulle Pispanen, e de funcionários do grupo opositor Rússia Aberta.

O grupo, citando o pessoal do comité de investigação, disse que as buscas estavam relacionadas com uma evasão fiscal em 2003, num caso que envolvia Khodorkovsky.