A Comissão Europeia reconheceu, esta terça-feira, ter falhado o objetivo de recolocar pelo menos 6.000 refugiados até segunda-feira, tendo conseguido distribuir apenas 208 pessoas desde 16 de março, data do primeiro relatório, num total de 1.145.

Os números constam de uma atualização dos dados sobre recolocação e reinstalação de migrantes divulgada, que indica que do total de 1.145 refugiados, 181 foram acolhidos em Portugal, 92 oriundos de campos de refugiados em Itália e 89 da Grécia.

O relatório aponta o facto de só na Grécia haver entre 35 a 40 mil pessoas elegíveis para recolocação e apela aos Estados-membros para aumentarem os esforços para ajudar a resolver esta situação, a que se soma a de Itália, onde os fluxos migratórios estão novamente a aumentar.

No que respeita à reinstalação de refugiados que estão em campos de refugiados fora da União Europeia – nomeadamente Líbano, Jordânia e Turquia – chegaram a 15 Estados-membros 5.677 pessoas desde 20 de julho, não tendo Portugal acolhido ainda nenhum dos 191 para os quais se disponibilizou.

Ao abrigo de um acordo celebrado a 18 de março com a Turquia, foi criado o chamado 'mecanismo de um por um', que prevê que a UE receba um sírio com estatuto de refugiado e devolva um imigrante irregular, já foram acolhidas 37 pessoas na Alemanha, 11 na Finlândia e 31 na Holanda.