A União Europeia lança um apelo aos refugiados e migrantes que tentam chegar à Alemanha: não atravessem os Balcãs e aguardem na Grécia por voos gratuitos com destino aos países que lhes vão dar asilo.
 
“A ideia é convencer um pai sírio que é melhor ficar na Grécia com a sua família” enquanto aguarda que o processo esteja concluído e tenha um país de destino e de asilo, segundo cita a Reuters.
 
No encontro organizado em Bruxelas, na Bélgica, no domingo, por iniciativa da chanceler alemã, Angela Merkel, ficou acordado que a União Europeia vai receber mais 100 mil refugiados, para além da distribuição de fundos à Grécia e a outros países, de maneira a providenciar ajuda aos refugiados.
 
A Grécia tem mostrado relutância em erguer campos de refugiados, pelo que as possibilidades de albergar os migrantes podem passar pela criação de residências ou hotéis.
 
As Nações Unidas, que têm estado a trabalhar em conjunto com a União Europeia nesta situação, alertam para a urgência de soluções para evitar a “tragédia”. “As medidas acordadas no domingo têm de entrar em vigor imediatamente. Já temos vários casos de hipotermia entre aqueles que aguardam ao frio”, disse Carlotta Sami, do Alto Comissariado para os Refugiados da ONU, segundo a Reuters.
 
A União Europeia está a negociar em separado com a Turquia, país de onde partem milhares de migrantes vindos, nomeadamente, da Síria, de modo a controlar os fluxos de migrantes com destino às costas europeias. A União Europeia estima dar asilo a 160 mil refugiados.