O que faria o “pai” da Microsoft, Bill Gates, se só tivesse dois dólares? Comprava galinhas. 

A questão é lançada no início de um longo texto, publicado na internet, onde o empresário expõe os motivos pelos quais acredita que se não fosse quem é, estaria a criar aquelas aves.

"Gates Notes" dá nome ao projeto onde a galinha é o personagem principal.

Qualquer pessoa que viva em situação de pobreza extrema, vive melhor se tiver galinhas”, disse o multimilionário

As razões apresentadas pelo magnata da tecnologia para apoiar o investimento nestas aves são mais ou menos óbvias:

  • são fáceis de criar e não necessitam de grande conhecimento ou experiência: as galinhas alimentam-se com o que encontram no chão e precisam de poucas vacinas;
  • são um bom investimento: um camponês pode adquirir uma galinha com pouco dinheiro e passado três meses ver o seu investimento multiplicado, chegando mesmo a ter mais 40 galinhas;
  • ajudam a manter as crianças saudáveis: Bill Gates relembra que por ano morrem mais de 3,1 milhões de crianças em todo o mundo por má nutrição. Os ovos e carne branca são ricos em proteínas e nutrientes essenciais para contrariar estes números negros de mortalidade infantil;
  • dão emprego: as mulheres podem vender os ovos ou as galinhas em mercados ou feiras e com isso realizar algum dinheiro, que lhes possa proporcionar melhores condições de vida, ao mesmo tempo estes negócios intervém diretamente no desenvolvimento da economia dos países.

Um antropologista do Burkina Faso, Batamaka Somé, que tem colaborado com o projeto de Bill Gates e dedicado parte da sua carreira à análise do impacto económico da criação de galinhas naquele país.

Num vídeo que sustenta a campanha, o especialista explica como o comércio de galinhas ajuda a melhorar a vida dos locais. No Burkina Faso, por ano, são vendidas cerca de três centenas de galinhas, com o valor unitário a rondar os cinco dólares, cerca de 4,41 euros.

O dinheiro gerado neste negócio tem sido fundamental para o desenvolvimento de vários setores da sociedade.

A campanha alerta também para taxa de alfabetização. As mulheres que criam estas aves são mais instruídas e sentem-se mais independentes.

Se o meu filho adoecer, posso vender uma galinha e com isso comprar medicamentos para o tratar”.

A África Subsariana é composta por 46 países. Com esta campanha, Bill Gates quer ajudar 30% das famílias rurais a ter animais saudáveis para criar. Neste momento, estima-se que somente 5% das famílias consegue.

As Nações Unidas estimam que cerca de 41% das pessoas nos países da África Subsariana vivem em pobreza extrema, com menos de 2 dólares por dia.