Há seis meses, um norte-americano de 61 anos acordou num hospital da Califórnia sem quaisquer memórias e a falar apenas sueco. Esta terça-feira, Michael Boatwright decidiu viajar até à Suécia para tentar reconstituir os acontecimentos do seu passado.

Este veterano da Marinha foi encontrado inconsciente num motel e levado para o hospital. Quando acordou, não se lembrava de nada e falava apenas em sueco. Dizia chamar-se Johan Ek, mas as autoridades identificaram-no como Michael Boatwright, uma pessoa que o próprio, não conseguiu reconhecer. «Estava a tremer como se tivesse sofrido um ataque epilético, não aconteceu mas eu estava mesmo a tremer. Não sabia onde estava nem quem era», recordou.

Na terça, Michael, ou Johan, decidiu embarcar para a Suécia, à procura do passado que desconhece. À sua espera, tinha Ewa Espling, uma ex-namorada que ouviu a história através da comunicação social. Já não se viam desde 1984.

E esta não foi a primeira vez que Michael viajou para a Suécia. Segundo os registos, o americano viveu vários períodos no país, entre 1980 e 2003.

«O tempo que ele passou na Suécia foi muito positivo, muito confortável para o Michael. Ele foi feliz aqui e os psicólogos do hospital nos Estados Unidos explicaram-lhe isso, que o facto de ele se ter sentido seguro e bem na Suécia pode ser a razão pela qual ele fala sueco e não inglês», contou Ewa.

Os médicos norte-americanos acreditam que este é um caso de amnésia dissociativa, provocada por traumas físicos ou emocionais.

A pouco e pouco, Michael começou a recordar a língua inglesa, mas as memórias teimam em não chegar. E Michael já se mostrou preparado para as aceitar, tanto as boas, como as más. «Fazem parte da minha vida e é com muito prazer que as aceito.»

Sobre si, Michael Boatwright sabe muito pouco mas acredita que é na Suécia que se encontram as respostas que tanto procura.