Um dos homicidas do soldado britânico Lee Rigby, morto em maio de 2013 num bairro de Londres, partilhou no Facebook a sua intenção de matar um militar, cinco meses antes do ataque, noticia a BBC.

De acordo com a estação pública britânica, Michael Adebowale, um britânico de origem nigeriana, afirmou em dezembro de 2012 durante uma conversa com um interlocutor no estrangeiro, através da rede social Facebook, que planeava «matar um soldado da maneira mais gráfica e chocante».

Confrontado com a situação, um representante do Facebook afirmou que «não comentam casos concretos, mas que a sua política é clara e que não permitem conteúdos terroristas».

O Intelligence and Security Committee (ISC), que tem vindo a investigar o caso, disse que a rede social pelos vistos não percebeu que tinha que denunciar o caso.

Drummer Lee Rigby, tinha 25 anos e estava a iniciar a carreira militar. Drummer Rigby foi integrado no exército em 2006 no segundo batalhão do Regimento Real de Infantaria. Regressara recentemente de uma missão no Afeganistão, no Regimento de Fuzileiros. Deixou um filho com dois anos na altura.