Os responsáveis pelo disparo que abateu um avião malaio sobre o leste da Ucrânia, na quinta-feira, devem ser julgados no Tribunal Penal Internacional de Haia, defendeu o primeiro-ministro ucraniano, acusando «os russos» de envolvimento no caso.

«Os russos foram demasiado longe. É um crime internacional e os responsáveis por este crime devem ser julgados em Haia [Holanda]», afirmou Arseni Iaseniuk, citado pela agência noticiosa Interfax-Ucrânia.

O avião da Malaysia Airlines, com 298 pessoas a bordo, fazia a ligação entre Amesterdão e Kuala Lumpur, tendo desaparecido dos radares da Ucrânia a uma altitude de 10.000 metros.

O Boeing-777 perdeu a comunicação com terra na região oriental de Donetsk, perto da cidade de Shaktarsk, e palco de combates entre forças governamentais ucranianas e rebeldes pró-russos.

Os serviços secretos norte-americanos disseram «acreditar fortemente» que o avião foi abatido por um míssil terra-ar, de origem ainda desconhecida.