A mutilação genital feminina (MGF) é um «escândalo no Reino Unido», onde afeta 170.000 mulheres, denunciaram, esta quinta-feira, deputados britânicos num relatório que critica o fracasso das autoridades na luta contra esta prática.

A MGF é ilegal no Reino Unido desde 1985, mas os primeiros processos judiciais foram concretizados em março passado.

O relatório da comissão parlamentar para os Assuntos Internos considera que «o fracasso» das autoridades britânicas na luta contra a MGF é um «escândalo nacional» e afirma que «a preocupação deslocada de respeitar as sensibilidades culturais em detrimento dos direitos das crianças é uma das principais razões» deste fracasso.