Milhares de pessoas protestaram, esta quarta-feira, nas ruas da capital do México para exigir o regresso, em segurança, dos 43 estudantes desaparecidos, depois de as autoridades terem detidos os principais suspeitos.

«Eles levaram-nos vivos, queremo-los vivos», ecoaram os manifestantes, munidos de um cartaz gigante com imagens dos 43 jovens, cujo desaparecimento desencadeou uma onda de indignação e acabou por se tornar numa crise para o Presidente, Enrique Pena Nieto.

Depois de um mês em fuga, Jose Luis Abarca, o antigo autarca de Iguala, no sul do México, e a sua mulher, Maria de Los Angeles Pineda, foram detidos na passada terça-feira, com a sua captura a alimentar esperança de que poderia oferecer pistas sólidas sobre o paradeiro dos estudantes desaparecidos há quase seis semanas, uma vez que são suspeitos de terem ordenado um ataque policial mortífero contra os jovens.

Desaparecimento dos jovens aconteceu em setembro e, até ao momento, não se sabe o que aconteceu.

Desde que foi dado início à investigação foi já descoberta uma vala comum com 28 corpos, mas não há indicação de que os cadáveres fossem dos desaparecidos.