A Coreia do Norte acusou este sábado o cidadão norte-americano sentenciado recentemente a seis anos de trabalhos forçados de provocar a sua detenção para revelar as condições das prisões do regime e tornar-se famoso mundialmente.

O Supremo Tribunal da Coreia do Norte condenou domingo Matthew Miller a seis anos de trabalhos forçados por considerar que cometeu «atos hostis» contra a Coreia do Norte.

Este sábado, num despacho da agência noticiosa KCNA, Miller teve uma ideia «estúpida» de ser testemunha das condições dos Direitos Humanos na Coreia do Norte e para isso provocou a sua prisão, o que é considerado um «insulto» ao regime norte-coreano.