O xeque Ali al Hemki, membro do Conselho dos Estudiosos da Arábia Saudita, emitiu esta quarta-feira uma fatwa, um decreto islâmico, proibindo as viagens a Marte, noticia o jornal «Ah Hayat», citado pela agência espanhola EFE.

Em declarações ao jornal, o xeque criticou o projeto Mars One, que visa organizar viagens para Marte, e já recebeu pré-inscrições de mais de 200 mil pessoas um pouco por todo o mundo.

«Essas experiências vão levar à destruição de quem as tentar», e por isso deviam ser feitas com animais, e não com pessoas, considerou o responsável islâmico, explicando que na base do decreto está uma passagem do Alcorão que diz que o crente «não deve lançar-se pelas suas próprias mãos na perdição».