Mariano Rajoy diz que só vai tentar negociar a formação de um governo "estável" com os partidos que defendam "a ordem constitucional" e "a unidade" de Espanha.

O líder do PP disse, após um encontro do Comité Executivo Nacional do partido, que vai reunir-se com forças políticas que tenham as mesmas ideias "quanto ao rumo constitucional, ao rumo económico e social e à posição de Espanha na Europa". Assim, Rajoy piscou o olho ao PSOE e ao Ciudadanos, os partidos mais próximos do PP.

Os entendimentos não se adivinham fáceis e Rajoy já sublinhou que o país não pode viver um longo período de indefinição.

Das eleições legislativas de domingo em Espanha saiu um resultado novo que vai obrigar os partidos a encetar negociações. 

O PP venceu, com 123 deputados, as eleições, mas sem a maioria para formar governo. O PSOE, de Pedro Sanchez foi o segundo partido mais votado, com 90 deputados.

Com uma maior dispersão de votos, partidos mais pequenos saíram vitoriosos das eleições, com uma maior expressão. O Podemos, de Pablo Iglesias, à esquerda, elegeu 69 deputados, e o Ciudadanos, de Alberto Rivera, com 40 deputados.

Os cidadãos espanhóis, esses continuam divididos, perante esta nova realidade política.