O pré-candidato democrata à Casa Branca Bernie Sanders saiu em defesa de uma mulher que foi fotografada a amamentar em público durante um comício da sua campanha presidencial em Cleveland.

A imagem desta mãe, Margaret Ellen Bradford, de Ohio, com uma bebé de seis meses ao peito enquanto manifestava apoio ao candidato tornou-se viral na Internet ou não fosse o tema da amamentação em público nos Estados Unidos polémico quanto baste.

Desde esse dia, na passada quinta-feira, Margaret foi ameaçada de morte, entre outras mensagens de ódio recebidas, como a de que a sua filha deveria ser-lhe retirada ou que era uma mãe sem educação.

No entanto, de acordo com a própria, o senador norte-americano não fingiu que não a viu, ela que estava bem perto, na segunda fila. No final do comício, contou na sua página no Facebook, Bernie Sanders e a sua mulher, Jane, dirigiram-se até ela e agradeceram-lhe “por cumprir o seu papel e tomar conta da filha quando ela mais precisava, mesmo que isso significasse amamentar em público”.

Mais tarde, através da rede social Twitter, Bernie Sanders voltou a defender aquela mãe.

“Como sociedade, não devemos nunca estigmatizar as mulheres por amamentarem em público”, escreveu.

Margaret esclareceu que a fotografia foi tirada sem o seu conhecimento, mas que "um bebé com fome é um bebé com fome".

"Não podemos dizer: ’trato de ti daqui a dez minutos’. Tem de ser: ‘vou dar-te de comer aqui e agora, se não começas a gritar”, justificou a mulher, em declarações à WEWS, afiliada da ABC em Cleveland.