Pelo menos 20 soldados indianos foram mortos e 11 ficaram feridos, esta quinta-feira, numa emboscada, no nordeste do país.O ataque aconteceu no estado de Manipur, onde está ativa há vários anos uma insurreição armada, que envolve diversos grupos tribais.
 

“Nós ainda não sabemos quem são os responsáveis”, disse um porta-voz militar, citado pela Reuters.

 
As autoridades suspeitam, contudo, que esta pode ter sido uma retaliação, depois de na segunda-feira uma mulher ter sido morta por soldados, no distrito de Chandel.

Sabe-se que a emboscada visou um comboio militar, que se dirigia para a cidade de Imphal, capital estadual. Os soldados foram atacados com lança-granadas, artefactos explosivos improvisados e fogo de armas automáticas.  

"O ataque irracional de hoje em Manipur é perturbador. Vergo-me perante cada um dos soldados que se sacrificaram pela nação", escreveu no Twitter o primeiro-ministro indiano, Narendra Modi.

 
Este é o ataque mais mortífero nos últimos anos na região. No início de abril, foram mortos três militares no distrito de Arunachal Pradesh. Um mês depois, no distrito de Nagaland, oito soldados também morreram na sequência de uma emboscada.

A violência na região custou 450 vidas só no ano passado. Os críticos responsabilizam, em parte, a chamada lei de Poderes Especiais das Forças Armadas, que deu poderes aos soldados para disparar a matar em determinadas zonas.