As autoridades do Casaquistão disseram esta segunda-feira que não foi detetada qualquer «utilização não autorizada» do seu espaço aéreo por quaisquer aviões não identificados no dia 8 de março, quando desapareceu o Boeing 777 da Malaiysia Airlines. A informação avançada pela Comissão de Aviação Civil casaque torna assim improvável a hipótese de o aparelho ter divergido na sua rota para norte, via Tailândia, adianta a Reuters.

O Casaquistão assegura que o aparelho até podia ter alcançado o espaço aéreo do país, mas teria sido detetado. A Malásia fez nove voos regulares de e para a Europa atravessando o território casaque, adiantou ainda aquela comissão.

As buscas pelo avião desaparecido estendem-se para a Austrália e a para o Casaquistão. O jornal «The Independent» avança esta segunda-feira que o avião pode ter sido desviado para uma base controlada pelos talibã, na fronteira com o Afeganistão. A última comunicação do cockpit terá sido enviada depois de os sistemas de comunicação do aparelho já terem sido desligados.