Malala Yousafzaï, militante dos direitos da criança e a mais jovem laureada com o Nobel da Paz, recebeu na terça-feira um prémio entregue anualmente por uma instituição norte-americana e prometeu consagrar os 100.000 dólares auferidos à educação no Paquistão.

O National Constitution Center (NCC), museu de história situado em Filadélfia (Pensilvânia) distinguiu Malala pela “sua coragem e determinação perante a adversidade e por ter atuado como porta-voz daqueles cujos direitos e liberdades fundamentais foram violados”, indicou o NCC.

No seu discurso, a jovem de 17 anos, que falava menos de duas semanas depois de ter recebido o Prémio Nobel da Paz, desejou que os 57 milhões de crianças que não vão à escola obtenham o direito à educação.