“Ao invés de se verem obrigados a fugir, desesperados, para países vizinhos ou a arriscarem-se numa viagem perigosa para abandonar o Médio Oriente em busca de segurança, estabilidade e apoio, deve permitir-se aos refugiados palestinianos que se unam aos seus irmãos e irmãs na sua terra natal, onde serão mais do que bem-vindos e acarinhados.”