O múltiplo homicídio nos Alpes, em 2012, chocou a França. A 5 de setembro de 2012, Saad al-Hilli, de 50 anos, um engenheiro britânico de origem iraquiana que trabalhava no setor aeronáutico no Reino Unido, a mulher e a sogra foram abatidos a tiro numa estrada florestal próxima de Chevaline, na região de Annecy, nos Alpes franceses. Duas filhas do casal sobreviveram ao ataque, sendo que uma delas ficou ferida com gravidade. 

Agora, cinco anos depois, a polícia parece ter encontrado uma nova pista que leva ao suspeito do rapto de Maëlys de Araújo

Nordahl Lelandais está detido desde setembro depois de ter sido acusado do desaparecimento da menina luso-francesa e, esta semana, foi formalmente acusado do assassínio de um militar desaparecido em abril. 

Segundo a BBC, o suspeito, de 34 anos, está a ser interrogado por possíveis ligações ao homicídio de Saad al-Hilli, Iqbal al-Hilli e Suhaila al-Allaf.

Estamos a rever todos os desaparecimentos que tiveram lugar nesta região", revelou o procurador Thierry Dran, sem acrescentar mais detalhes. 

No entanto, de acordo com a BBC, os casos que estão a ser investigados pela polícia são o desaparecimento de Adrian Mourial, um belga de 24 anos, perto do lago Annecy, em França, em julho, e dos desaparecimentos de Jean-Christophe Morin e Ahmed Hamad, que desapareceram em 2011 e 2012, respetivamente.