Dezenas de migrantes de um centro de detenção em Madrid, Espanha, iniciaram na terça-feira um motim, subindo para o telhado e partindo mobílias, sem causar feridos, indicou um porta-voz da presidente da câmara madrilena.

Não sabemos o número exato, 30 ou 40. Subiram para o telhado e a polícia está a tentar negociar”, disse, na terça-feira, um porta-voz da ‘mayor’ de Madrid, Manuela Carmena, acrescentando que ninguém ficou ferido.

Às primeiras horas de hoje, os migrantes reuniram-se no exterior do centro gritando “liberdade, liberdade”, enquanto 15 estavam sentados no telhado, de acordo com um jornalista da agência AFP.

Alguns dos migrantes bloquearam as câmaras de segurança do interior do edifício.

As condições dos sete centros de detenção de migrantes em Espanha têm sido comparadas às das prisões, com quartos sobrelotados, casas-de-banho sujas e pouca oferta ao nível de serviços sociais ou de tradutores.

Estes centros destinam-se a pessoas que entraram em Espanha ilegalmente e que se encontram no processo de serem deportadas.