Madeline Stuart está a tornar-se um símbolo da aceitação social das pessoas com deficiência, depois de fazer história ao tornar-se a primeira modelo com síndrome de Down a desfilar na Semana da Moda, em Nova Iorque.

Madeline Stuart, uma rapariga australiana de 18 anos, há muito que sonhava ser modelo. Há cerca de um ano foram as palavras “mãe, eu, modelo” que convenceram Rosanne Stuart a ajudar a filha a realizar o desejo.

A luta compensou: Madeline tornou-se a primeira modelo com síndrome de Down a desfilar na Semana da Moda, em Nova Iorque. A rapariga foi a estrela da coleção primavera/verão de 2016 da marca  Hendrik Vermeulen, desfilando ao lado de outros modelos conceituados e encerrando o desfile ao lado dos designers Hendrik Vermeulen e Dino Moran.

“Para mim e para ela trata-se de propagar o amor e educar as pessoas”, afirmou a mãe, que assistiu ao desfile na primeira fila.


Mdeline está a tornar-se uma inspiração para milhares de pessoas com necessidades especiais, mostrando que é possível ultrapassar os preconceitos. Para além de manequim, a jovem é dançarina, joga basquete e pratica críquete e natação.

A rapariga tem já tem quase 467 mil seguidores no Facebook e é o rosto da empresa de cosméticos Glossigirl. Também a marca  EverMaya prestou uma homenagem à modelo, criando uma coleção de malas com o nome The Madeline, cujas receitas serão doadas à Sociedade Nacional com Síndrome de Down.

A agência de modelos Melange, em São Francisco, nos EUA, elegeu-a “Modelo do Ano” e Madeline está ainda nomeada para dois prémios na sua terra natal, nas categorias de “Orgulho da Austrália” e “Jovem australiana do ano”.