Um magistrado do Supremo Tribunal brasileiro retirou na terça-feira a investigação sobre o ex-Presidente Lula da Silva ao juiz Sérgio Moro, que conduz a Operação Lava Jato, e ordenou que passe para o Supremo.

O magistrado Teori Zavascki, relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, aceitou também um pedido apresentado pelo Governo que apontou irregularidades na divulgação de escutas telefónicas de conversas entre Lula e a sua sucessora e aliada política, Dilma Rousseff.

Zavascki fixou um prazo de dez dias para que Moro, juiz federal de Curitiba, apresente ao tribunal um relatório e explique por que motivo autorizou a divulgação das escutas telefónicas.

O Supremo Tribunal do Brasil confirmou, esta terça-feira, a recusa da nomeação de Lula da Silva como Ministro da Casa Civil da Presidente Dilma Rousseff.

Lula da Silva é suspeito de corrupção no âmbito do processo Lava Jato, que permanece sob alçada dos procuradores do Ministério Público, conforme determinou a juíza Rosa Weber. A defesa de Lula da Silva pretendia o processo que passasse para as mãos do Supremo.