A conversa entre Dilma Rousseff e Lula da Silva está a gerar uma onda de indignação nas ruas e junto da opinião pública. Mas também há quem, no meio dos protestos ou a pretexto deles, tenha resolvido fazer humor com a situação. 

Os chamados memes inundaram as redes sociais. Comentários, vídeos e imagens tornaram-se virais na internet. Os cibernautas têm publicado diversos conteúdos cómicos sobre o Governo e a relação entre os dois elementos do Partido dos Trabalhadores (PT).

A reviravolta no caso Lava Jato tem tido várias comparações com a série norte-americana House of Cards que os cibernautas não têm deixado escapar.

 

A conversa entre Dilma e Lula foi tornada pública na internet e já tem remix.

Para além deste papel há quem escreva a carta astral para Lula da Silva usar... mas só se for necessário.

Lula da Silva trata Dilma Rousseff por “querida” e a tradução para inglês no jornal The Guardian também já é alvo de chacota.

Também as origens de Lula da Silva e o seu percurso político, até aqui elogiado por muitos dos apoiantes do PT como exemplar, têm sido alvo de críticas e ironias.

Quando, em 1988, Lula da Silva censurou a justiça brasileira por privilegiar ricos e punir só os pobres, estaria longe de imaginar que em 2016 essas palavras seriam usadas contra si. Na internet já lhe chamam “profeta Lula” e agora o povo exige explicações.

As criticas a Lula da Silva e à sua relação com Dilma Rousseff e o Governo brasileiro têm aumentado depois do Ministério Público de São Paulo ter acusado o antigo chefe de Estado brasileiro de ocultação de património, lavagem de dinheiro e falsidade ideológica e ter pedido a sua prisão preventiva. Para reverter esta situação, Dilma convidou Lula para ministro da Casa Civil.

O documento da tomada de posse de Lula da Silva foi assinado esta quinta-feira, pouco depois das 10:30 (13:30 em Lisboa), numa cerimónia em Brasília. Mas os protestos nas ruas de apoio e também de protesto contra a decisão de Dilma e de Lula não cessaram.

Entretanto a Justiça Federal de Brasília determinou, pouco tempo depois da cerimónia, a suspensão da nomeação do ex-presidente Lula como ministro da Casa Civil do Governo de Dilma Rousseff. A notícia é avançada pelo jornal Folha de São Paulo e está ainda em atualização.