O jornal alemão cita um relatório interno da agência francesa para a segurança da aviação civil (BEA), que diz que Andreas Lubitz baixou subitamente a altitude na viagem para Barcelona no mesmo dia da queda.

 

No documento consta, segundo o Bild, que o copiloto da subsidiária da Lufthansa colocou o A-320 numa “controlada mas injustificada descida durante vários minutos”. A BEA acredita, por isso, que Andreas Lubitz tivesse mais do que a intenção de treinar.

“Não podemos excluir o facto de [Lubitz] não só querer treinar [como despenhar o avião] durante o voo contrário, mas inclusive levar a queda por diante”, conclui o relatório, escreve o Bild.